5×0: Decisão do TJD-AM absolve jogadores acusados de irregularidade

Por unanimidade, o Tribunal de Justiça Desportiva absolveu Penarol, Nacional e Rio Negro, da acusação de escalar jogadores irregulares no Campeonato Amazonense nesta quarta-feira (03).

Presidente do Nacional presente no TJD

A denúncia se baseava no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) que trata de irregularidades como “incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente”. Caso os clubes fossem condenados poderiam perder pontos, alterando toda a configuração atual do Barezão. A promotoria argumentava que atletas dos três clubes haviam sido inscritos após o prazo especificado no regulamento do Campeonato Amazonense.

A diferença entre o registro e a publicação dos atletas no Boletim Informativo Diário foi o que pautou as discussões durante a sessão. “De fato, há uma dúvida, no  regulamento específico da competição acerca da publicação no BID e registro dos atletas na CBF. Nas análises, nós fizemos a interpretação, eu como relator iniciei observando que as equipes cumpriram o regulamento. O dispositivo do regulamento prevê até um dia um dia antes a publicação no BID e o registro precisaria ser feito antes do returno. A comissão entendeu por unanimidade que as equipes cumpriram o regulamento e acabamos por absolvê-las da denuncia que foi feita”, explicou ele.

No Bastidores:

O auditor presidente, Marcio Greyk de Paula Raposo, questionou os debates instrutórios das defesas. Por 5 votos a 0, as equipes foram absolvidas.

“Não há necessidade de punir as equipes acusadas por questão de fração de minutos. Sendo que os atletas citados como utilizados irregulares foram inscritos no dia anterior do início do returno”, citou.

O advogado do Naça, Marcos Xavier, questionou o início do returno. “Não se pode definir punição em visto que o início do returno é diferente para cada equipe. O Fast não ganha no campo e quer nos prejudicar”, incitou.

Xavier ainda falou:”Nos causa muita felicidade o Tribunal ter reconhecido o absurdo que foi a denúncia do Fast Clube” .

Pelo lado do Penarol, o advogado do time de Itacoatiara, Arnoud Lucas Andrade, reprovou que equipes sejam punidas com a perda de pontos.

“Futebol é jogado dentro de campo e não de gravata e terno. É uma pena que dirigentes ainda tentam se aproveitar de coisas tão banais a fim de interesses próprios”, disse o defensor do Leão da Velha Serpa.

No julgamento, as defesas das três equipes alegaram que faltou conhecimento administrativo do regulamento e bom senso das equipes denunciantes, argumentando que o prazo especificado de inscrição é para registro do contrato e não para registro no Boletim Informativo Diário (Bid).

Rodrigo Novaes Diretor do Fast disse que vai recorrer: “Vamos atrás de nossos direitos recorrendo ao pleno deste tribunal e até ao STJD se for necessário”.

A Torcida Apaixonaça esteve presente no TJD e saiu satisfeita com o resultado. “Fico feliz porque foi feita a justiça , afinal o Nacional não cometeu nenhuma irregularidade, se houve algum erro não foi do Nacional, agora a bronca é dentro de campo estaremos apoiando sempre o Mais Querido“, Natan ex presidente da Apaixonaça.

Comments

comments